07.11.2016

Estratégia de Sucesso

By Eliana Dutra
Eliana Dutra

Paradigmas são definidos modelos mentais, ou conjuntos de crenças, ou suposições, ou generalizações geralmente fruto de experiências, que são assumidos como “Fatos Verídicos” que dão forma ao jeito como entendemos o mundo e reagimos a ele.

Entre os diversos tipos de paradigmas vamos destacar um que tem um objetivo dos mais importantes: salvar sua pele e sua auto-estima. Este é o responsável pelo sucesso da maioria dos executivos. Assim vamos chama-lo de Estratégia de Sucesso, pois é como toda pessoa bem sucedida a medida em que vai construindo sua carreira vai definindo o que funciona e o que não funciona na vida corporativa e, desta forma criando sua estratégia própria. Porém com a mudança no ambiente a estratégia pode se tornar obsoleta e perder a função de “estratégia de sucesso” para ser armadilha.

Exemplos:

  • Você , desde que foi promovido a gerente, sempre chegou no escritório na hora certa, no início do expediente. Por isto foi elogiado pelo seu diretor diversas vezes. Recentemente você mudou de chefe, o novo diretor não valoriza o horário de chegada no escritório . Resultado: você se sente injustiçado porque seu novo chefe nunca nota o esforço que você faz para chegar no horário.
  • Você trabalha numa organização que valoriza a competência técnica, você sempre foi estudioso tem vários diplomas e foi promovido a gerente por causa da sua formação consistente. Num processo de sucessão mudam o presidente da empresa. e você descobre que tem fama de pessoa que só diz “não pode” . Resultado Você de uma hora para outra você se sente criticado por usar sua competência conceitual.

“O que está acontecendo?” Você se pergunta. “O mundo enlouqueceu? O que era bom ontem hoje é ruim?” E eu respondo: “Exato! Absolutamente certo! O que garantia o sucesso ontem hoje é a marca do fracasso! E o pior é que você não nota”

A má notícia em relação ao paradigma é que ele filtra o que você percebe como real de forma que a realidade “caiba” dentro da verdade que você supôs como “A Verdade”. Assim se eu entro na sua sala e digo “feche a porta” se você me considera uma pessoa autoritária você imediatamente nota a falta do “por favor” o que corrobora a Sua Verdade em relação a mim, mas se você mas ansiosa e pouco valoriza a cortesia você irá notar , não a falta do “por favor” mas que eu estou sempre apressada e por isso nem dei “bom dia” fui direto ao que eu queria “feche a porta”, mas se você acredita que eu sou democrática e nem um pouco ansiosa provavelmente irá pensar que eu devo estar morrendo de frio para ser tão incisiva em relação à porta. O importante é que não importa o que eu faça, qualquer coisa que eu faça só irá corroborar a imagem que você já tem de mim.

A boa notícia é que você pode mudar seus paradigmas assumindo algumas novas atitudes:

Velho Modelo
Se não está dando certo é porque alguém errou
Eu sou assim, o que posso fazer?
Se eu disser isto a ele, ele me demite

Novo Modelo
Vou buscar o que eu poderia ter feito/dito diferente
Eu posso ser como eu quero ser
Como posso dizer isto sem ser demitido?

A outra notícia é uma má, é que a velha atitude é contagiosa ela leva a organização toda a acreditar que, por exemplo, determinada meta é impossível ou que determinada pessoa “não é legal” .

A boa notícia é que a liderança pode mudar este ambiente alterando a conversação dominante.

Velha conversação
O que podemos fazer? É a crise…

Velha conversação
Com crise ou sem crise no final do ano tem sempre gente que ganhou dinheiro, o que eles estariam fazendo, agora?